O maior, melhor e mais saboroso hamburger caseiro do mundo

Pode falar com a combinação de hamburger, batatas fritas e cerveja não encanta qualquer faminto, e faz tremer qualquer vegetariano?

Há tempos vinha querendo fazer uma receita de hamburger caseiro e pesquisei milhares de sites e receitas possíveis, quando finalmente me deparei com um que listava 3 regras básicas para o sucesso. São elas:

  1. Um bom hambuger começa por uma boa carne;
  2. Um bom hamburger tem que ter gordura;
  3. Um bom hamburger não se salga.

Pronto. Eis minha bíblia.

Somado à isso, e depois de muitos vídeos do Ogrostronomia para inspirar, parti para o desafio.

Escolhi um acém moído na hora, com cerca de 500g, e com pouco gordura, pois eu tinha outros planos para essa parte. Pois bem. Piquei meia cebola grande e triturei, na faca mesmo, mais ou menos a mesma quantidade de cebola, em BACON. Sim. Eis a prova:

DSC03267_

Não leva ovo, farinha de rosca, sopa de cebola em pó, nada disso. Apenas umas duas ou três colheres de molho inglês.

Após devidamente misturado, moldei as carnes de forma um tanto, errr… ogra:

DSC03272_

Cada monstruosidade dessa, ficou com cerca de 200g.

Antes de grelhar, é preciso deixar um tempinho na geladeira. Deixei por uma hora, cobertos com plástico filme e logo após mandei para a frigideira, temperando lá mesmo com sal e pimenta, um lado de cada vez.

É importante que sua frigideira ou grelha esteja bem quente, dourando bem cada um dos lados e como ele ficou bem alto, foi preciso terminar no forno, para que o centro também ficasse no ponto certo.

DSC03287_

Para acompanhar esse absurdo proteico, fiz 3 coisinhas básicas: mais bacon, umas batatinhas fritas bem sequinhas e um molho de cerveja preta que casou muito bem. Eis a receita:

  • 1 lata de cerveja preta;
  • 1 cubo de caldo de carne;
  • 1 colher de manteiga;
  • 1 colher de maizena.

Coloque a cerveja preta em uma panela, com o caldo de carne e a manteiga e deixe dissolver tudo e reduzir um pouco. Para acrescentar a maizena, é preciso reserva um pouco da cerveja e dissolvê-la antes, para não empelotar. O molho fica muito saboroso e espesso.

Já o bacon, fiz umas fatias finas, para deixá-lo bem crocante, e tostei um pouquinho o pão também.

Preparados? Ficou assim:

DSC03289_

Foco na suculencia da carne:

DSC03294_

Ah, não podemos esquecer do molho:

DSC03296_

Por dentro ficou assim ó:

DSC03299_

Além de comer cerveja, também gostamos de beber né? Então minha dica é essa Baden Baden Stout, com 7,5% de teor alcóolico e sabor amargo com notas de café torrado e espuma bem encorpada.

DSC03301_

Acha que acabou? Que tal um Danente Meio Amargo?

DSC03304_

Depois dessa maratona calórica, só uma corrida na praia, com essa trilha:

Anúncios

Comida de boteco reinventada

Tirem as crianças da sala! Imagens fortes à seguir.

Bem há tempo do almoço, pergunto à vocês: o que você faria com meio quilo de aipim, bacon e um lombinho de porco? Meu primeiro pensamento foi fritar tudo e fazer um tira gosto digno do melhor boteco da cidade. Mas dessa vez, o lado negro da força perdeu e preferi fazer uma bela ‘confort food’, digna de vó e que renderam umas fotos de matar qualquer um de fome. Me segue…

DSC_9009

Diz aqui pra mim se essa imagem não faz o coração parar de bater por uns segundos.

Agora que tenho a atenção e a fome de vocês, vamos à história desse prato.

Nesse mesmo dia, andei lendo sobre culinária alemã e lembrando de um joelho de porco com chucrute que havia comido e que desmanchava na boca de tão macio. Quando vi quais ingredientes eu tinha para o almoço (além dos que eu falei lá em cima, eu também tinha repolho roxo), pensei em fazer um prato com influências alemãs e botequeiras para o almoço e o resultado foi lindo.

DSC_9017

Lombinho de porco grelhado, repolho roxo e creme de aipim. O bacon (ou a cereja do bolo) foi só pra dar um toque bonito/gordinho.

O lombinho não têm segredo. Temperei com sal, pimenta do reino, limão e azeite. Já o creme de aipim, dá um poquinho mais de trabalho, mas nada que o resultado não compense. Cozinhei os pedaços de mandioca em água e sal e depois bati no liquidificador com um pouco da água do cozimento. Em uma panela dourei um dente de alho amassado com azeite e manteiga, juntei o creme e também adicionei um bom punhado de queijo parmesão ralado e um pouco de creme de leite.

Inspirado pelo chucrute alemão, resolvi também refogar umas tiras de repolho roxo com um pouco de alho, azeite, uma pitada de açúcar, sal e umas gotinhas de vinagre e ficou sensacional!

DSC_9011

E agora um close pra não ter dúvida da belezura desse prato:

DSC_9018

Muitas pessoas têm me perguntado se as fotos do blog são da internet ou eu mesmo tiro todas elas. Sim gente, todas as fotos são minhas, com um toquezinho de cor e cuidado apenas. Essa receita inclusive contou com a ajuda de uma amiga por trás da câmera, pois eu estava comandando duas receitas ao mesmo tempo. Em breve poderão ver a outra Smiley piscando.

Trilha do almoço: