Carreteiro de lombo e manga, feito com uma mão nas costas (literalmente)

Não sei se notaram, mas andávamos meio sumidos. Pois é. Um acidente com skate e 30 dias de molho com o braço direito imobilizado por conta de uma fratura próxima ao cotovelo.

Até que cozinhar não vinha sendo um problema até eu ter que cortar uma cebola. Impossível. Então resolvi ser solidário à todos os cozinheiros que passaram ou passarão por essa provação.

Eis minha receita de arroz carreteiro feito somente com o braço esquerdo! Ihuul! Além de ser muito prática, essa receita foi feita com sobras do almoço e garanto que pra vocês que não deixou nada à perder. Anota os ingredientes:

  • Arroz (cru, cozido, árboreo, integral, selvagem… dá pra usar tudo!)
  • Lombo de porco assado e desfiado
  • Fundo da assadeira da panela ou tabuleiro para fazer o caldo
  • Chutney de manga (pode ser substituído facilmente por um de cebola roxa ou até uma geléia de pimenta vermelha)
  • Cebolinha verde picada por outra pessoa (rsrs)
  • Alho e cebola desidratados
  • Uma dose de aguardente para flambar
  • Sal, azeite e manteiga

IMG_20130712_194917_506_

Como disse antes, essa receita foi feita apenas com o braço esquerdo, pois o direito ainda estava imobilizado, então basicamente usei muita coisa pré pronta, como o chutney de manga. Pra quem não conhece, nem nunca viu mais gordo, clica aqui para uma ajudinha. Esse em especial, foi presente da minha mãe, comprado em Santa Teresa, aqui na nossa serra.

IMG_20130712_193135_259

Eu usei arroz comum, porém ainda cru e por isso eu precisava de um bom caldo para deixá-lo no ponto. Juntei água àquele fundo sensacional da assadeira do lombo e transferi para uma panela. Acrescentei umas ervas e deixei lá em fogo baixo, no mesmo processo de um risoto.

Com o arroz fritando na panela, coloquei a cachaça e flambei, e como não podia picar alho e cebola, então usei ambos secos. O resultado foi muito bom, porém não pode deixar fritar, pois queimam muito rápido e então já acrescentei o lombo desfiado, que estava super macio então foi fácil desfiá-lo só com o garfo.

Fui colocando o caldo pouco a pouco até chegar no ponto certo do arroz e aí acrescentei o chutney. Esse era bem picante, feito com manga verde, passas, gengibre e muita pimenta. Como gosto de pimenta, usei duas colheres de sopa. Apaguei o fogo e finalizei apenas com azeite, mas se você tiver um queijo meia cura, mineiro de preferência, recomendo muito!

Pra finalizar, uma cebolinha que já estava picada Smiley piscando

Trilha ótima do recesso…

Comida de boteco reinventada

Tirem as crianças da sala! Imagens fortes à seguir.

Bem há tempo do almoço, pergunto à vocês: o que você faria com meio quilo de aipim, bacon e um lombinho de porco? Meu primeiro pensamento foi fritar tudo e fazer um tira gosto digno do melhor boteco da cidade. Mas dessa vez, o lado negro da força perdeu e preferi fazer uma bela ‘confort food’, digna de vó e que renderam umas fotos de matar qualquer um de fome. Me segue…

DSC_9009

Diz aqui pra mim se essa imagem não faz o coração parar de bater por uns segundos.

Agora que tenho a atenção e a fome de vocês, vamos à história desse prato.

Nesse mesmo dia, andei lendo sobre culinária alemã e lembrando de um joelho de porco com chucrute que havia comido e que desmanchava na boca de tão macio. Quando vi quais ingredientes eu tinha para o almoço (além dos que eu falei lá em cima, eu também tinha repolho roxo), pensei em fazer um prato com influências alemãs e botequeiras para o almoço e o resultado foi lindo.

DSC_9017

Lombinho de porco grelhado, repolho roxo e creme de aipim. O bacon (ou a cereja do bolo) foi só pra dar um toque bonito/gordinho.

O lombinho não têm segredo. Temperei com sal, pimenta do reino, limão e azeite. Já o creme de aipim, dá um poquinho mais de trabalho, mas nada que o resultado não compense. Cozinhei os pedaços de mandioca em água e sal e depois bati no liquidificador com um pouco da água do cozimento. Em uma panela dourei um dente de alho amassado com azeite e manteiga, juntei o creme e também adicionei um bom punhado de queijo parmesão ralado e um pouco de creme de leite.

Inspirado pelo chucrute alemão, resolvi também refogar umas tiras de repolho roxo com um pouco de alho, azeite, uma pitada de açúcar, sal e umas gotinhas de vinagre e ficou sensacional!

DSC_9011

E agora um close pra não ter dúvida da belezura desse prato:

DSC_9018

Muitas pessoas têm me perguntado se as fotos do blog são da internet ou eu mesmo tiro todas elas. Sim gente, todas as fotos são minhas, com um toquezinho de cor e cuidado apenas. Essa receita inclusive contou com a ajuda de uma amiga por trás da câmera, pois eu estava comandando duas receitas ao mesmo tempo. Em breve poderão ver a outra Smiley piscando.

Trilha do almoço: