Massa, mariscos e um retorno com estilo!

Aquela sensação de voltar ao seu lugar de origem, quase que ao berço, sabe?

Estava longe da cozinha por um tempo, mas com muitas idéias na cabeça e vontade e inspiração de sobra. Por sorte, no mesmo dia as compras da feira renderam camarões e lagostins fresquinhos.

IMG-20131103-WA0016

Essa receita foi inspirada numa panqueca que comi em um restaurante, de camarão com molho vermelho e eu estava ansioso para jogar tudo na panela. Eu usei:

  1. Fusilli (parafuso) para duas pessoas;
  2. Molho de pimentões assados (pronto ou caseiro);
  3. Tomates pelados;
  4. Alho, cebola, sal, cheiro verde e manteiga
  5. Camarão à vontade;
  6. Lagostins de acordo com a fome e a gula 🙂

Bom, com a massa já na água, precisava aprontar o molho e o acompanhamento. Então vamos por partes:

Para o molho, primeiro frite os camarões e reserve. Na mesma frigideira, frite uma cebola bem picadinha, alho, sal e pimenta do reino com azeite e um pouquinho de manteiga. Os pimentões assados nesse caso foram de um molho pronto italiano que ganhei de presente, mas super fáceis de fazer também. Basta assar alguns pimentões (utilizei vermelhos) e quando estiverem bem macios, basta processá-los e levar ao fogo com alho, azeite e acertando o sal. Pronto.

Acrescentei duas colheres bem generosas do molho de pimentões e uma lata de tomates pelados, acertando o sal e a pimenta. Deixe reduzir para que fique um molho bem espesso e rústico. Acrescente os camarões novamente e reserve.

Os lagostins são super fáceis e rápidos de fazer. Em uma vasilha misture manteiga em temperatura ambiente, alho amassado à gosto, ervas à sua preferência, pimenta do reino e sal. Com os lagostins cortados no comprimento (vide fotos), espalhe a mistura da manteiga por cima e leve ao forno à 250º e pré aquecido por cerca de 10 minutos. Não deixe muito tempo ou eles passarão do ponto.

Massa no molho, e acompanhamento por cima. Salpique salsa fresca bem picadinha e parmesão ralado 🙂

IMG-20131103-WA0011

Para acompanhar, sugiro essa Colomba Witbier, não filtrada. Importada de Córsega, localizada no Mar Mediterraneo de administração Francesa.

IMG-20131103-WA0010_

Primeira impressão

Acredito muito em primeiras impressões e nada mais justo que começar esse projeto com uma receita que pra mim é inesquecível: Capelete ao ragu de linguiça.

Imagem

 

Fiz esse prato pro almoço de um sábado sozinho em casa e com a inspiração nas alturas. Mas é importante dizer que esse tipo de prato acompanhou todo minha infância, menos decorado e com muitos outros nomes e versões possíveis. Família com descendência e Vó criada na roça é assim.

Então em meio há uma cerveja e um DVD do Pinky Floyd tocando alto, juntei vários ingredientes, sem receita prévia e sem pesquisa (como geralmente faço antes de pilotar o fogão) e fiquei olhando pra eles pensando em como ia juntá-los. Eu tinha exatamente:

– Linguiça de pernil da roça (recém comprada na feira);

– Tomates pelados;

– Capelete caseiro com recheio de frango (também da feira);

– Pimenta calabresa;

– Cebolas e alhos;

Pois bem. Como mandam os ensinamentos da Vó Tereza (depois falo mais sobre ela), receita boa é feita no olho e eu realmente não lembro as quantidades que usei (rsrs).

Tirei a pele da linguiça e triturei, deixando pedaços bem pequenos, ficando mais fácil pra fritar e com aquele fundo bem rico ali na panela, mandei as cebolas e alhos picados e logo mais os tomates pelados, pimenta calabresa, acerto no sal. Fogo baixo, outra cerveja bem gelada no copo e paciência, mexendo de vez em quando.

Com o capelete cozido ‘al dente’ e regado com um pouco de azeite, molho por cima, decora, tira foto e felicidade!

E pra compartilhar com vocês todo o clima, pega uma cerva gelada e clica no link abaixo.

http://www.youtube.com/watch?v=jBv5MDhLwj4